Campeão vegano de fisiculturismo explica como ganhar músculos sem carne, ovos ou leite

Felipe Garcia do Carmo, mais conhecido como “Fefeu”, superou preconceitos e rompeu barreiras, ao optar por uma dieta vegana no meio fisiculturista. Felipe, que anteriormente comia 20 claras de ovos diariamente, hoje se tornou campeão apenas com a força dos vegetais.

Nessa entrevista, ele nos contou a sua trajetória até o veganismo, dando dicas para aqueles que desejam ser marombeiros sem qualquer tipo de produto de origem animal.

“Para eles, era um absurdo um vegano ganhar músculos ou definir comendo carboidratos em grande quantidade.”

Abaixo, você confere a entrevista completa!

Quem acompanha o Blog O Holocausto Animal sabe que você já comprovou isso na prática, mas não custa reforçar: Dá pra ficar fortão sem se entupir de peito de frango e clara de ovo?

Com certeza! Sou a prova viva disso, afinal eu era um atleta fisiculturista que consumia 20 claras de ovos e 1 kg de peito de frango por dia, há mais de 2 anos atrás. E hoje estou aqui, vegano, com muito mais qualidade e quantidade em volume muscular que antigamente.

Pelo nível de compromisso e força de vontade exigidos, competir profissionalmente é sempre muito difícil, e ser o destaque da noite como primeiro lugar no palco é para poucos. O que o motivou a atingir este resultado?

Nível competitivo, seja amador ou profissional, não é fácil. E o fisiculturismo exige uma disciplina e dedicação extrema, afinal somos nosso próprio adversário durante toda a preparação. E ser campeão em uma categoria das mais disputadas, com atletas onívoros disputando no mesmo palco, foi incrível.

Me preparei para a competição com a ideia de ficar entre os 3 primeiros colocados, pois a vontade maior em meu coração não era ganhar simplesmente um troféu, e sim levar a bandeira do veganismo para que todos pudessem ver que nossas proteínas vegetais são similares e competentes às proteínas animais, com a diferença de não financiarmos a morte de nossos irmãos para esse feito.

Desse modo, ficar entre os melhores da categoria daria essa visibilidade maior ao veganismo, e quebraria de vez o preconceito e o mito das proteínas vegetais, assim como o mito de que fisiculturista vegano não é capaz de competir com fisiculturistas onívoros.

E felizmente, para minha surpresa e a de todos, fui Campeão da Categoria Class 1, acima de 1,79 de altura.

“A dica que dou é que consuma durante a semana todas as fontes proteicas como feijão, lentilha, grão de bico, tofu, pts, soja, tempeh.”

Hoje em dia existem inúmeras empresas no mercado que fabricam suplementos esportivos 100% veganos, sendo uma delas sua patrocinadora (VeganWay). Quais suplementos você usou e que papel eles tiveram na sua preparação física?

Eu só tenho a agradecer ao patrocínio da VEGANWAY, que foi fundamental na preparação para esse campeonato.  Viveram comigo a preparação toda, sempre me ligando, sempre prestativos, perguntando se precisava de algo ou se eu estava bem. E isso nos uniu ainda mais, pois nos tornamos uma família.

Em fase de dieta para o campeonato, usei apenas a RICE PROTEIN VEGANWAY (Proteina do Arroz Integral Germinado – RAW) pelo fato de conter menos sódio que a PEA PROTEIN VEGANWAY (Proteína da Ervilha). Esta proteína auxilia na preservação da massa magra durante a dieta, assim como ajuda na quantidade diária que meu peso necessita desse nutriente.

Usei BCAA VEGANWAY (Aminoácidos de cadeia ramificada tendo como aminoácido principal a importantíssima Leucina) que tem por finalidade evitar o catabolismo muscular (perda de massa muscular) e auxiliar na recuperação da musculatura para os próximos treinos.

Consumi bastante Chá Verde Veganway, que é importante pelo seu poder diurético, ajudando o organismo a tirar aqueles líquidos indesejáveis, mantendo uma qualidade melhor ao físico, e usei outros suplementos como Creatina e Glutamina, para a recuperação muscular, obter energia a mais durante o treinamento, e manter o cérebro, intestino e outros tecidos em harmonia durante a dieta.

Felipe conquistou o primeiro lugar na categoria CLASS 1, no II Campeonato de Fitness e Musculação de Mairinque.

Que dica de nutrição você daria para alguém que está pegando pesado na academia, mas que não quer ingerir proteínas através da carne, leite ou ovos?

A dica que dou é que consuma durante a semana todas as fontes proteicas como feijão, lentilha, grão de bico, tofu, pts, soja, tempeh. Consuma carboidratos bons, como arroz, batatas, mandioca, frutas, legumes e verduras em geral, oleaginosas como castanhas, nozes, amendoim, amêndoas, entre outros, e fibras e cereais como linhaça, aveia, chia, etc.

“[…] os resultados começaram a surgir e a surpreender ao colega mais cético da academia.”

Por que você resolveu tornar-se vegan?

Um dia vi uma foto em uma rede social, postagem da Luisa Mell, que mostrava a tristeza de um cão filhotinho e o olhar de desilusão de sua mãe presa a uma jaula, que posteriormente iria ser abatida.

Aquela imagem me perturbou, me pegou de jeito. O rostinho da mãe e seu olhar me trouxeram lembranças de um cachorrinho que tive e que infelizmente foi atropelado na minha frente, por imprudência da minha parte.

Levei ele ao veterinário ainda com vida, e deitadinho no colo da minha mãe, que me ajudou com o socorro, ele me olhava triste, e esse foi o mesmo olhar da mãe presa a jaula. Isso me fez chorar demais quando vi a imagem na rede social. Fiz a ligação com o meu cachorrinho. E isso bastou para mim. Chorei demais e refleti sobre aquilo, até que cheguei a conclusão que mudou minha vida para melhor: ‘Se eu amo uns, por que como outros?’

Desse dia em diante, decidi não comer mais carne. E assim foi. Virei ovolacto-vegetariano por apenas 3 semanas e logo parti para o veganismo, pelo amor aos animais, por sentimento. Atualmente luto não só pelos animais, mas pelos humanos e por um mundo melhor a todos! 

“Estava disposto a largar mão de tudo pelo veganismo, independente se essa decisão iria comprometer minha carreira como atleta.”

Quais tipos de preconceitos você enfrentou, e ainda enfrenta, ao declarar-se vegan no meio do fisiculturismo?

Sofri bastante preconceito no início, dos colegas do meio Fisiculturista, pois para eles, era um absurdo um vegano ganhar músculos ou definir comendo carboidratos em grande quantidade, já que os alimentos proteicos são acompanhados desse nutriente.

Mas eu não dei ouvidos, segui minha razão e meu coração. Estava disposto a largar mão de tudo pelo veganismo, independente se essa decisão iria comprometer minha carreira como atleta.

Mas os resultados começaram a surgir e a surpreender ao colega mais cético da academia. Viram ao vivo que é possível ser um atleta fisiculturista e que nossas proteínas e nosso estilo de vida são compatíveis em qualquer modalidade. Isso fez com que o tabu fosse quebrado e o respeito e admiração surgissem, afinal passei a ser referência, dentro e fora da academia. Entrava um aluno novo e já me apontavam dizendo que eu era vegano (rs).

“Proteína é proteína!”

Você considera ser mais difícil ganhar massa muscular com uma dieta vegana?

Pelo contrário. Em meu primeiro campeonato subi no palco com 80 kg (onívoro). Anos depois, como vegano, disputei outro campeonato depois de Mairinque e subi no palco com 91 kg, muito mais definido e com muito mais volume do que antes.

Como digo a todos, proteína é proteína!

Agora que você venceu o Campeonato de Fisiculturismo de Mairinque, certamente vai virar modelo e inspiração pra muita gente. Conte-nos um pouco sobre a sua preparação e rotina de treinos.

Meu planejamento é anual. Divido em 3 ciclos as fases de dieta e treino durante o ano:

  • 6 meses de Ganho de Massa Muscular – Hipertrofia;
  • 2 meses de Treinamento de Força e Potência;
  • 4 meses de Dieta para definição (PRE CONTEST).

Em fase da dieta para definição, incluo a pré-dieta, na qual corto alimentos com glúten e consequentemente lanches e pizzas, durante 1 mês. Mantenho o treinamento igual a fase de hipertrofia, porém uso princípios de treinamento que vão envolver um número maior de fibras musculares, aumentando assim a qualidade da musculatura, vaso dilatação e o estímulo da lipólise, que é a queima de gordura.

No mês seguinte entro na dieta restrita, onde escolho os alimentos certos que respondem melhor ao meu organismo e diminuo gradativamente o carboidrato, aumentando progressivamente a proteína, para evitar o catabolismo, perda de massa magra.

No terceiro e último mês começo a me preocupar com a quantidade calórica do meu dia-a-dia, assim como o tipo de carboidrato a ser consumido. Geralmente ‘caso’ com dois tipos de carboidratos durante o dia, como por exemplo, arroz e banana.

E nos últimos 15 dias dou uma atenção especial ao sódio, potássio, magnésio e cálcio, minerais que, manipulados corretamente, surpreendem nos resultados no dia da competição.

Os treinos se mantêm na mesma configuração, apenas ajusto de acordo com o músculo que está menos desenvolvido ou que está um pouco mais ‘retido’, variando algum exercício ou aumentando o numero de repetições.

Exercícios Aeróbios para auxiliar na lipólise, queima de gordura, executo 2 vezes na semana em Jejum por no máximo 20 minutos e 2 a 3 vezes na semana logo após o treinamento com pesos. Isso já é o suficiente para que os resultados apareçam no decorrer dos meses!

visite

http://www.vacaflorida.blogspot.com.br/

Anúncios

oito alimentos termogênicos que te ajudam a emagrecer

375629_399634890086315_1351397929_n

Eles aumentam o gasto calórico de seu organismo e aceleram os resultados

As substâncias termogênicas contidas em certos alimentos têm a capacidade de aumentar a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e aumentando a queima de gordura. A termogênese é um processo regulado pelo sistema nervoso e interferências neste sistema podem ajudar no controle de emagrecimento e obesidade”.

Mas, para que esses alimentos mostrem resultado, é necessário aliá-los à dieta regrada e exercícios físicos. Além disso, os termogênicos possuem algumas restrições. “Quem tem hipertireoidismo não deve ingeri-los, visto que o metabolismo já está muito elevado, o que aumenta o risco de perda de massa muscular”, exemplifica Daniela. Luciana também lembra que crianças e gestantes, pessoas com cardiopatias, hipertensão, enxaqueca, úlcera e alergias não devem abusar desses alimentos, pois eles podem levar a aumento da pressão arterial, hipoglicemia, insônia, nervosismo e taquicardia.

Alimentos com Ômega 3: pode ser encontrado em nas semente de linhaça, castanhas e nozes, óleos vegetais (azeite, óleo de soja, canola) e vegetais de folhas verdes escuro. Ele aumenta o metabolismo basal, melhora a retenção de líquidos e facilita a comunicação entre as células do organismo.

Pimenta vermelha: Esse tipo específico de pimenta é rica em capsaicina, substância que favorece o aumento da quebra de gorduras no tecido adiposo. Ela aumenta em até 20% a atividade metabólica se ingerida na quantidade de três gramas por dia, podendo ser adicionada em saladas e pratos quentes como tempero.

Chá verde (Camellia sinensis): “Assim como a pimenta, esse chá favorece a utilização da gordura corporal como fonte de energia em função do estimulo metabólico”. Para que o efeito aconteça, a nutricionista Daniela Cyrulin aconselha cinco xícaras de chá por dia durante três meses. Mas, cuidado: quem tem insônia não deve ingerir o chá verde na parte da tarde ou noite.

Canela: Além de aumentar o metabolismo basal, a canela possui alto teor de cálcio mineral, substância importante para o emagrecimento. Polvilhada por cima de frutas (aproximadamente uma colher de chá rasa), contribui com o emagrecimento e ainda torna a refeição deliciosa.

Gengibre: Essa raiz pode aumentar o gasto calórico em mais de 10%. “O gengibre pode ser consumido de diversas formas, cru, em marinadas para temperar molho de tomate, sopas de legumes e chá, quando misturado com outras ervas”. A quantidade indicada pela nutricionista Daniela Cyrulin é de duas fatias pequenas.

Chá de hibisco: Esse chá, assim como os demais termogênicos, aumenta a temperatura corporal durante a digestão e, consequentemente, aumenta o metabolismo. Para que o efeito seja positivo, a nutricionista Daniela Cyrulin aconselha um litro por dia, sendo que, para um litro de água, deve-se usar uma colher de sopa da flor.

Água gelada: Sim, até mesmo a água gelada pode te ajudar a emagrecer! Ao ingeri-la, seu organismo gasta energia para elevar a temperatura até a tida como adequada pelo corpo (algo entre 36º e 37ºC). No entanto, o efeito é muito leve. Para melhores resultados, ingira oito copos de água por dia, pois essa medida pode aumentar seu gasto calórico em até 200kcal, como afirma a nutricionista Daniela Cyrulin.

Café: O efeito termogênico do café deve-se a cafeína, um alcaloide que atua sobre o tecido adiposo sobre a rede vascular periférica. Age na liberação da epinefrina, estimulando a lipólise (quebra de gordura). Sem adição de açúcar recomenda-se a dose diária de 300 mg , ou seja, 3 xícaras de café expresso. A ingestão exagerada pode causar insônia, irritabilidade e nervosismo, reduz a absorção do ferro e do cálcio e irrita as paredes do estômago

Requeijão vegano de castanha de caju

Ingredientes
200g de castanha-de-caju
Água filtrada
2 dentes de alho
1 colher (sopa) de óleo de coco
1 colher (sopa) de vinagre de maçã
Açafrão a gosto
Salsinha a gosto

Modo de preparo
Cubra a castanha-de-caju com água e deixe de molho por 8 horas. Após esse período, despreza a água do molho. Coloque a castanha no liquidificador, acrescente 200 ml de água filtrada e os demais ingredientes. Bata tudo por cerca de 5 minutos até ficar bem cremoso!

ESCONDIDINHO DE COGUMELOS ESPINAFRE E QUINOA

ESCONDIDINHO-DE-COGUMELOS-ESPINAFRE-E-QUINOA_proc

Ingredientes:

10 batatas grandes
200g de champinhons fatiados
200g de shimeji deflorados
300g de quinoa
300g de espinafre ou folhas de rúcula
1 cebola grande bem picada
2 dentes de alho picados
1 cálice de vinho tinto seco
1/2 xícara de leite vegetal
1 a 2 colheres de shoyu
¼ de xicara de salsinha picada
¼ de xicara de cebolinha picada
Pimenta moída na hora a gosto
1 colher de sopa de amido de milho
1 xícara de migalhas de pão fresco ou farinha de rosca
Azeite extra virgem
Sal a gosto
Modo de Preparo:

Descasque e corte as batatas. Coloque em uma panela grande com água suficiente para cobrir. Leve para ferver, tampe e cozinhe até ficar macio, cerca de 30 minutos. Escorra e transfira para uma tigela pequena.

Cozinhe a quinoa com caldo de legumes. Reserve.

Junte numa bacia 3 colheres de azeite as batatas, o leite e bata até obter um purê cremoso. Tempere com sal e pimenta agosto. Cubra e reserve. Pré-aqueça o forno a 250°C.

Aqueça 2 colheres de azeite em uma frigideira média. Adicione a cebola e refogue em fogo médio até ficar transparente. Adicione o alho e os cogumelos e continue a refogar até a cebola ficar dourada. Junte a cebolinha e deixe apurar.

Adicione aos cogumelos a quinoa e leve para ferver em fogo brando. Junte o vinho, shoyu, tempero e pimenta. Cozinhe em fogo brando por 5 minutos. Junte a salsinha. Combine o amido de milho com apenas água suficiente para dissolver em um pequeno recipiente. Junte à mistura e mexa. Reserve esse recheio.

Numa panela de água fervente, adicione o espinafre, um pouco de cada vez, apenas para amolecer tudo. Retire do fogo e ajuste temperos ao seu gosto. Pique e junte ao recheio.

Numa assadeira de vidro unte com azeite e polvilhe com farinha de rosca. Espalhe uniformemente sobre o fundo. Despeje o recheio, em seguida, cubra com o purê de batatas uniformemente por cima.

Asse por 30 a 35 minutos, ou até que as batatas começarem a dourar. Deixe descansar por 5 a 10 minutos, depois serva.

Os 8 Benefícios do Pêssego Para a Saúde

10805590_762849717098162_6842020645106720611_n

Saúde dos Olhos:
Os pêssegos são uma grande fonte de beta-caroteno (um composto que é convertido em vitamina A no organismo, e que é essencial para a saúde dos nossos retinas). Indivíduos com problemas de visão são muitas vezes deficiente em beta-caroteno, assim pêssegos consumir vai ajudar os seus níveis de beta-caroteno e nutrir a saúde dos seus olhos. Este composto também ajuda a prevenir a cegueira noturna e degeneração macular relacionada à idade.

Proteção contra as toxinas: ótima maneira de limpar as toxinas do seu cólon, rins, estômago e fígado. O alto teor de fibras empurra para fora qualquer questão dos resíduos tóxicos em excesso de seu cólon, e ajuda a proteger contra o câncer de cólon. pêssegos também são ricos em potássio, que reduz doenças relacionadas com rins e reduz as chances de desenvolvimento de úlceras.

Auxilia na perda de peso: Incluindo muita fruta madura suculenta fresca em sua dieta é uma ótima maneira de ajudar a controlar a fome e perder peso. pêssegos contêm açúcares naturais da fruta, para que eles não elevar o açúcar no sangue ou os níveis de insulina (apenas alimentos açucarados processados fazer isso – açúcares refinados e artificial que se depositam na forma de gordura no seu corpo). A doçura da fruta também controla os desejos de comida que você pode ter!

Combate ao Câncer:.Particularmente, eles contêm um antioxidante, o ácido clorogénico (concentradas na pele e carne do pêssego), o que é conhecido para proteger o corpo contra o cancro e outras doenças crónicas. Este antioxidante é também responsável pela redução da inflamação no corpo (ajudando aqueles que sofrem de artrite) e ajuda a retardar o processo de envelhecimento.

Saúde Cardiovascular: Ricos em ferro e vitamina K, que são duas substâncias importantes para manter o coração saudável. A vitamina K impede a coagulação do sangue e protege contra uma miríade de doenças cardíacas. Ferro mantém o sangue forte e saudável e previne contra a anemia por deficiência de ferro. O licopeno e luteína em pêssegos também reduzir significativamente o risco de desenvolver doenças cardíacas. Faça o seu sistema cardiovascular um favor e ir comer alguns pêssegos!

Limpeza dos Rins: O potássio dos pêssegos são ótimos para reduzir as doenças relacionadas com rins e ajuda a limpar a bexiga. A concentração de potássio e outras vitaminas permite que o seu corpo mante-la a função renal normal e fígado. Comendo pêssegos vai ajudar a evitar a nefrite e uma variedade de outras doenças renais, bem como ajudar a eliminar as pedras nos rins.

Saúde da Pele: Os níveis de vitamina C em pêssegos são muito altos! A vitamina C é um ingrediente essencial que beneficia a juventude da nossa pele (e também ajuda a manter nosso sistema imunológico alto!). pêssegos ajudar a retardar o processo de envelhecimento para que eles reduzem a formação de linhas finas e rugas na pele (graças aos antioxidantes, como a vitamina C e ácido clorogênico). Esfregar um pouco de pêssego em sua pele como uma máscara temporária é outra ótima maneira de desfazer a pele morta e permitir que as enzimas de pêssego para nutrir e refreshen sua pele.

Antioxidantes: Os antioxidantes ajudam a eliminar os radicais livres no organismo, que normalmente causam doenças com risco de vida e doenças como câncer, doenças auto-imunes e uma variedade de outras doenças..

Strogonoff vegano de shimeji e palmito

 

562842_356747757708362_1728458022_n.jpg

– 400gr de cogumelo shimeji
– salsa e cebolinha a gosto
– 400 gr de tomate cereja
– 3 cebolas médias
– 500 gr de tofu
– 1/2 xic azeite oliva
– 1/2 xic shoyo light
– 1/2 xic água
– 300 gr de palmito

Modo de preparo:

Retire os talos do cogumelo e separe os raminhos. Pique a cebolinha e salsinha, abra os tomates e retire as sementes, corte uma cebola em pedaços grandes e as outras duas em pedaços pequenos. No liquidificador bata o tofu, o azeite, a cebola em pedaços grandes, os tomates, os temperos verdes e se quiser, um pouco de sal.